Algumas razões para eu ser grato por minha esposa:

por ocasião de nosso aniversário de casamento

1 Sou grato por ela não ser tudo o que eu esperava de uma esposa. Deste modo Deus trata o meu coração, ajudando-me a corrigir minhas expectativas, e mostrando-me que o design dEle é bem melhor do que o meu. (Sem mencionar que, “de brinde”, em conhecê-la todos os dias eu ganho surpresas melhores do que as que eu esperava).

2 Sou grato por nossas diferenças de gosto, estilo, educação, etc. É assim que Deus me livra do meu individualismo e narcisismo, abrindo os meus olhos para o outro, e fazendo-me andar em um movimento para fora de mim e em direção à minha esposa. Deus trabalha o meu coração para que eu cresça em compreensão e amor prático, lidando com as diferenças. Deus quebra o meu egoísmo e idolatria, ajudando-me a servi-la em itens e momentos não interessantes para mim. Além disso, eu aprendo sobre novas perspectivas do mundo, e com os seus gostos e estilo eu percebo novas interpretações da realidade que enriquecem minha experiência.

3 Sou grato por seu jeito feminino e as manifestações de pecado envolvidas nele (Gn.3 – manipulação emocional, tentativa de controle, etc.). Deste modo Deus me desafia a um tipo de liderança no lar que resgate o ensino bíblico sobre a vocação do homem, e me encoraja a pensar e praticar formas criativas e amorosas de conduzir minha esposa com firmeza e sensibilidade. Deus me ensina a ser homem diante das nossas manifestações de pecado.

4 Sou grato por nossos conflitos.  Cada discussão e desentendimento é um exercício de amor sacrificial. Assim Deus me ensina a amar minha esposa como Jesus amou a Igreja e se entregou por ela (Ef.5). Nossos conflitos são dolorosos e difíceis, mas são grande oportunidades para compreensão mútua e crescimento no amor e na graça de Deus. Cada desentendimento é um momento para abrir mão das “vitórias e conquistas pessoais”, e buscar honrar a Deus por meio de servir o outro. Nem sempre servir significa permitir que o outro faça o que quiser, mas significa que o amor direciona as atitudes. Deus me ensina a pastorear a minha amada em nossos problemas, e demonstra os pecados e ídolos do meu coração – ensinando-me sobre o tanto que ainda preciso mudar para ser um marido adequado.

A gente se diverte!

5 Sou grato por sua doçura e feminilidade. Deus alimenta os meus olhos e coração ao me permitir ver e ouvir seus olhos, suas curvas, sua voz, seu perfume e seu jeito. O Senhor me preenche de amor e desejo de cuidar e guardar minha esposa de todas as maneiras possíveis. Deus me ensina que ela é filha dEle, e que eu sou Seu mordomo em cuidar dela. Agora mesmo ela está cheia de planos e idéias para celebrarmos o nosso aniversário de casamento logo mais. Ontem ela estava belíssima em um vestido longo e com o cabelo cortado. Seu jeito feminino me enriquece e alegra.

6 Sou grato por sua coragem e força. Mesmo sendo o vaso mais frágil (1 Pe.3.7), minha esposa possui coragem e força. Saiu de sua cidade para me acompanhar, abriu de seus empregos em Brasília para viver sob o meu sustento (mesmo que ela ainda trabalhe hoje), e prontificou-se a experimentar várias situações inteiramente novas em decorrência do casamento (mudança de igreja, de casa, de nome, etc., etc.). Sua força e coragem me desafiam a ser um homem melhor e mais digno da mulher que ela é.

7 Sou grato por nossa afinidade com a área teológica. Amo o fato de ela amar teologia e se envolver nisso tanto quanto eu. Sou profundamente agradecido por podermos assistir um filme e discutir sobre as cosmovisões nele apresentadas, ao mesmo tempo em que nos divertimos com as cenas mais bobas do mesmo. Agradeço a Deus porque o seu envolvimento com a área lhe faz compreender alguns dilemas do ministério pastoral e me apoiar nisso tudo com especial propriedade.

8 Sou grato por crescermos juntos em uma mentalidade voltada para o coração. Através do Centro de Pós-graduação Anrew Jumper (CPAJ) tivemos acesso a materiais e leituras que direcionaram a nossa perspectiva de Deus, dos homens e dos relacionamentos. Hoje crescemos juntos nessa mentalidade voltada para o coração, analisando nossos ídolos e motivações, e assim tendo uma prática matrimonial enriquecida, e que nos permite ajudar outras pessoas. Não bastam transformações comportamentais, ou ambientais, a dimensão do coração é mais profunda. Estamos crescendo nesse entendimento.

9 Sou grato por sua simplicidade. Minha esposa não exige muito para viver. É uma mulher simples e amável, que experimenta o contentamento sem muita dificuldade. Isso conforta o meu coração diante das possibilidades de prover para o lar, e diante dos nossos desafios orçamentários. Ao mesmo tempo, sua falta de exigências me desafia a lutar por crescimento, para oferecer a ela cada vez mais e melhor, para a glória de Deus, e para o seu cuidado.

10. Sou grato por nosso primeiro ano juntos. Muitas foram as experiências, encontros, desencontros, sorrisos, choros, palavras e silêncio. Deus nos supriu em cada momento. Deus recompensou o nosso amor – como o Rev. Wadislau diria. Deus alimentou o nosso amor. E Deus glorificou o Seu nome em nossa união. Aprendemos cada vez mais a viver com base na aliança, e isto é libertador.

Minha linda, sou grato por você. Grato principalmente a Deus, que dirige nosso caminho, e a você também.

Amo você, Ivonete Porto.

A Deus toda a glória.

Anúncios